• CONCEITOS EMERGENTES: A Inovação no Campo de Batalha
    n. 52 (2021)

    A nossa já tradicional Revista Âncoras e Fuzis, nesta nova edição traz um tema muito interessante que busca abordar novos e diferentes conceitos que de alguma maneira têm impactado a nossa busca pelo conhecimento afeto as lides da guerra anfíbia, e porque não dizer, em certos aspectos, do fenômeno guerra como um todo, tentando, evidentemente, manter-se no seu nicho de conhecimento do nível tático.

  • A Batalha de Retaguarda e a Logística de Sustentação
    n. 51 (2020)

    A equipe de edição da revista Âncoras e Fuzis vem, mais uma vez, convidá-lo a assistir um verdadeiro desfile de conheci-mentos, ideias e propostas expostos por nossos autores nesta edição cujo tema central é “A Batalha de Retaguarda e a Logística de Sustentação”. O estudioso da profissão das armas perceberá, ao longo destas páginas, a importância de se estruturar corretamente uma força para fazer face a sua sustentação no combate. Assim, duas facetas do problema são apresentadas: a primeira diz respeito à logística militar, vivida principalmente, mas não somente, na Área de Retaguarda; a segunda diz respeito à sobrevivência dessa mesma logística e de outras atividades realizadas nessa área, a faceta da segurança.

  • A Batalha do Comando e Controle no Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais
    n. 50 (2019)

    A equipe de edição da revista Âncoras e Fuzis, acreditando na vossa disposição em participar do desenvolvimento dos conhecimentos de interesse da profissão das armas, particularmente daqueles combatentes que vem do mar, atinge a emblemática contagem de cinquenta edições por meio do tema “A Batalha do Comando e Controle no GptOpFuzNav.” Muitos são os ensinamentos registrados na história em que a diferença entre a vitória e a derrota residiu na capacidade dos comandantes de entender corretamente a situação em que se encontravam, em dar ordens aos seus subordinados, fazê-los entendê-las, acompanhar sua implementação, assim como as mudanças da situação, quando elas ocorriam. Essas ideias consubstanciam, em sentido mais amplo, as ações de Comandar e Controlar.

  • A BATALHA PROFUNDA: MODELANDO O COMBATE
    n. 49 (2018)

    Levados pela aceitação do último número da revista Âncoras e Fuzis, nossa equipe retoma discussões sobre aspectos doutrinários das operações de Fuzileiros Navais. Nesta nova edição trazemos ao centro dos debates o significado da “Batalha Profunda” e a reboque a ideia de estar “Modelando o Combate”, de modo a tirar o melhor
    proveito da situação. Com visão prospectiva o CFN definiu, em 2010, os Eixos Estruturantes da sua Doutrina de Emprego, dentre eles a organização por Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais, definido com um modelo organizacional capaz de combinar, de forma modular, meios de combate, de apoio ao combate e de apoio de serviços ao combate. Este modelo mostrou-se particularmente apropriado para uma melhor compreensão da divisão dos esforços no campo de batalha, atualmente conhecidos como a Batalha Aproximada, a Batalha de Retaguarda, a Batalha Profunda, tema dessa nossa edição, e a Batalha Única.